quinta-feira, 23 de maio de 2024   | : :
banner-728x90.png

Sebastião Serra conta um pouco de sua trajetória até se tornar empresário em Sebastianópolis do Sul

Personalidade da Semana



Sebastião Serra conta um pouco de sua trajetória até se tornar empresário em Sebastianópolis do Sul

Sebastião Serra nasceu em 12 de julho de 1938 na Vila Sena, Zona Rural de Nhandeara. Morou lá enquanto criança, mudaram-se para Santa Izabel, próximo a Fernandópolis, onde ficaram por quatro anos, até voltar para onde nasceu e trabalhar como agricultor na lavoura.

Casou-se em 20 de janeiro de 1962 com Clotilde de Souza Serra (in memoriam), com quem teve dois filhos, Sebastiana Aparecida Serra e Rubens Aparecido Serra. Têm também dois netos, Gustavo Horta Serra e Guilherme Horta Serra.

No dia seguinte ao seu casamento, mudou com a esposa para Sebastianópolis do Sul. “Cheguei na época trabalhando como carpinteiro, consertava carreta, fabricava e consertava charrete e carrinho de tração animal”, disse ele, que abriu uma oficina de carpintaria e trabalhava também com ferragens, madeira e soldas.

Serra conta um fato interessante de quando tinha sua oficina. “Na cidade não havia nada, trabalhei como borracheiro também, quando criou o município de Sebastianópolis do Sul o prefeito tinha dificuldade em oferecer caixão para velar as pessoas e a gente fabricava sob medida em madeira simples, só para suprir a necessidade”, conta.

Em 1983 iniciou-se no ramo de material de construção. “Montei o Depósito São José, pois vi uma necessidade de mercado na cidade, que estava em desenvolvimento”, afirma ele, que oferece em sua loja materiais para construção em geral.

Permaneceu com o Depósito e a Oficina até que em 1998 ficou apenas com a loja. “Tínhamos os dois e funcionavam no mesmo local, mas nesse ano pegou fogo na parte que era a oficina e acabamos ficando só com a loja”, lembra. Serra também teve um depósito de madeira, mas encerrou as atividades há 4 anos.

Aposentou-se no ano 2000, mas ainda hoje continua na ativa. Hoje supervisiona a loja, que conta com 10 funcionários registrados e a família que trabalha junto. “Sempre trabalhamos mais em família e hoje continuamos com os filhos e netos trabalhando junto”, finaliza ele.

Comentar

Compartilhar


Top